Voltar 

 Sr. Caiado, o homem do progresso da Faia
 
 
O Sr. Caiado, presidente da junta de freguesia da Faia, homem muito lutador pelo progresso e prosperidade da sua aldeia, e depois de muitos anos de má sorte para esta, finalmente conseguiu nos últimos anos a sua transformação e posicioná-la num lugar de destaque e relevo no concelho. Não falo só no embelezamento muito "sui generis" da sua povoação, que conserva uma naturalidade tão beirã e original, como nas grandes melhorias dos seus acessos, por parte dos Prados e a nova continuação da rodovia pela marginal da albufeira do Távora em direcção à Barragem do Vilar, estrada esta, privilegiada com uma paisagem invulgar e atractiva de grande parte da mancha de água da albufeira do Távora. Também é de notar nesta aldeia uma urbanização interessante de várias habitações, que este senhor, com a colaboração da Câmara Municipal realizou, tornando assim a Faia uma aldeia com mais população e mais vitalidade.
Não é para esquecer a desgraça de que a Faia foi vítima no século passado, com a sua submersão pela albufeira, provocando profundas feridas nos corações de uma parte da população que ainda está viva. Aqui começou o grande azar da aldeia; depois a Faia e o Sr. Caiado (como Presidente da Junta), viveram isolados por muitos anos, não desejados pelo antigo poder autárquico. Todavia mercê das suas fortes convicções e grande luta pelo progresso da aldeia conseguiu finalmente levar a Faia para um caminho de prosperidade, sucesso e finalmente a boa sorte para a Terra.  É hoje considerado um presidente exemplar, e é orgulho para muitos, sendo a principal referência da aldeia.
A profissão do Sr Caiado está relacionada com o artesanato em Latoaria, e que é exemplar em toda esta zona beirã pela qualidade e originalidade dos produtos de fabrico.
É especialista na execução de candeeiros, almotolias, francelas, acinchos, cantarinhas, lampiões e outros utensílios para a vida agrícola. Hoje, acompanhando as necessidades dos tempos modernos, e na mesma oficina, constrói também caleiros para os beirais das casas.
 

  Voltar